Problemas dentários em animais

Pilates na Gestação
20 de fevereiro de 2019
BENEFÍCIOS DA MUSCULAÇÃO
1 de março de 2019
Exibir tudo

Problemas dentários em animais

Assim como nos humanos, os cães e gatos também desenvolvem placas de tártaro, que muitas vezes passam despercebidas pelos tutores dos animais. O tártaro é uma placa de bactérias e restos de comida que se acumula com o tempo nos dentes dos animais. Mesmo que a alimentação do animal seja somente com ração seca, biscoitos e petiscos que auxiliam na limpeza bucal, e mesmo que o tutor escove os dentes do animal, algumas vezes isso não é suficiente para impedir a formação das placas. Algumas raças de cães são predispostas a desenvolver o tártaro como por exemplo Poodle, Yorkshire, Pinscher, Maltês e Shih-tzu.

O tártaro deposita-se nos dentes próximo a gengiva e vai consumindo-a. Conforme o avanço do tártaro, as bactérias podem entrar na corrente sanguínea e parar no coração, nos rins e fígado, podendo levar até à morte do animal em casos mais graves. Uma doença que pode ser desencadeada pelo tártaro é a doença periodontal que causa inflamação e destruição dos tecidos adjacentes aos dentes, além da perda dos mesmos. Outra complicação que pode acontecer é a fístula oro-nasal, que ocorre pela inflamação e infecção dos dentes molares e acúmulo de pus nos seios nasais, formando uma comunicação entre a cavidade nasal e a oral, o que causa muita dor e irritação.

O primeiro sintoma do tártaro é o mau-hálito. Os dentes afetados pelo tártaro começam a ficar amarelados e conforme o tempo passa vão ficando marrons. Em casos ainda mais graves, o cachorro para de se alimentar, pois o tártaro causa dor e o pet começa a evitar a mastigação.

Há muitas soluções caseiras disponíveis na internet, mas nenhuma tem a eficácia comprovada. A única forma totalmente eficaz de remover as placas de tártaro é o procedimento de limpeza realizada por um profissional médico veterinário.

A extração de tártaro é um procedimento simples para a limpeza do tártaro que é realizado através de anestesia geral. Geralmente são solicitados alguns exames complementares para assegurar a aptidão do animal para ser submetido à anestesia. Alguns dentes podem ser removidos caso seja necessário. O procedimento costuma ser rápido e seguro, geralmente o animal vai pra casa no mesmo dia.

Algumas medidas podem ser tomadas para prevenir o aparecimento do tártaro como a realização da escovação dos dentes do pet duas vezes por semana e o uso concomitante de produtos com aditivos que inibem a fixação de bactérias nos dentes. Tomando estes cuidados simples, acostumando o pet com a escovação desde filhote, existe grande possibilidade de retardar ou barrar o aparecimento das placas de tártaro. Com uma boca saudável, seu pet também fica saudável.

Efapet rodapé.cdr