Obesidade e atividade física para crianças e jovens: O que fazer?

Como organizar uma rotina alimentar nas férias
28 de dezembro de 2018
ACUPUNTURA PARA MELHORAR A DISPOSIÇÃO
4 de fevereiro de 2019
Exibir tudo

Obesidade e atividade física para crianças e jovens: O que fazer?

Como citado na edição anterior, no texto “Obesidade e atividade física para crianças e jovens: um alerta aos pais e responsáveis” o número de crianças e adolescentes (de 5 a 19 anos) obesos em todo o mundo aumentou em muito nas últimas quatro décadas. Por isso, vê-se a necessidade da criação de estratégias para a redução ou ao menos manutenção destes índices.

A atividade física tem sido vista como um meio de reduzir os mais prevalentes problemas de saúde, as doenças crônicas não transmissíveis, dentre elas, as doenças cardiovasculares, a diabetes tipo 2 e a obesidade, sendo efetiva em todas as idades e públicos. Atualmente, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda 150 minutos de atividade física semanal para adultos. Entretanto as recomendações da OMS são diferentes quando direcionadas ao público jovem (5 a 17 anos), elas instruem para 60 minutos diários de atividades de intensidade moderada ou vigorosa.

Ainda, as atividades vigorosas, tais como programas que envolvam treinamentos contra uma resistência, como a musculação, a natação e o pilates, permitem a ocorrência de adaptações fisiológicas positivas para o indivíduo. Dentre essas adaptações, destaca-se a melhora na densidade óssea. Imagine seu filho praticando musculação e ao invés do que todo mundo pensa, que a musculação prejudica o crescimento da criança, esse tipo de treinamento melhora o desenvolvimento ósseo da criança que passa a ser mais saudável.

Suar, brincar e praticar algum esporte ou tipo de treinamento devem fazer parte das fases mais divertidas da vida, a infância e a adolescência. O único e melhor profissional capacitado para instruir atividades que envolvam esses elementos é o da Educação Física, mas observe que o mesmo deve ser formado e registrado no Conselho Regional de Educação Física, então exija profissional habilitado.